Xantoma e xantelasma

Xantoma é uma espécie de tumor benigno de pele composto de lipídeos, que pode aparecer em qualquer parte do corpo, especialmente em cotovelos, joelhos, mãos, pés, coxas e glúteos. Já os xantelasmas são também pequenos depósitos de matéria gordurosa, só que concentrados na região das pálpebras.

Não se trata de uma doença, mas da manifestação aparente de algum distúrbio no metabolismo de lipídeos, em especial o colesterol. Por isso, é importante que o xantoma não seja confundido com xantelasma, uma vez que este último não está relacionado a alteração dos lípideos. Este quadro pode ser primário ou, secundário a outras doenças e condições, tais como a diabetes, a cirrose biliar primária, doenças do metabolismo e alguns tipos de câncer.

Essas lesões formam-se numa tentativa natural do organismo de se proteger contra o acúmulo das proteínas que carregam o colesterol, chamadas de lipoproteínas. Com essa intenção, as células responsáveis pela limpeza orgânica, chamadas macrófagos, literalmente engolem a gordura depositada nos tecidos.

No entanto, os macrófagos não conseguem eliminar completamente os lipídeos, como o fazem com microrganismos, e se transformam em células cheias de gordura, que, por não terem para onde ir, se acumulam e se infiltram sob a superfície da pele, dando origem aos xantomas.

Diante da detecção de uma lesão nova na pele é importante a avaliação de um médico. Vale ressaltar que as alterações metabólicas e o consequente depósito de gordura no organismo podem constituir um importante factor de risco para doenças cardiovasculares.

imagem do Google
imagem do Google
imagem do Google
imagem do Google

Causas e sintomas

A única manifestação do xantoma é estética, pelo surgimento de lesões indolores na pele, muitas vezes em regiões da face e áreas expostas. Estes nódulos surgem como manchas em alto relevo, que podem ser percebidos pelo tacto e como erupções. Independentemente de sua apresentação, são caracteristicamente macios á palpação e possuem coloração amarela ou castanha, superfície plana e bordas bem definidas. Já as dimensões variam bastante, mas particularmente os nódulos e as placas podem atingir mais de sete centímetros.

Apesar de ter características semelhantes, o xantelasma é bem menor e restringe-se às pálpebras. Embora não causem dor, esses tumores podem ser incómodos, dependendo de sua localização, sobretudo do ponto de vista estético.

O xantoma pode decorrer do excesso de colesterol na circulação, tanto o causado por doenças metabólicas hereditárias, quanto os associados a condições clínicas como diabetes, cirrose biliar primária e alguns tumores de fígado. Curiosamente, em até dois terços dos pacientes que apresentam esses tumores gordurosos, os valores de colesterol podem estar normais. No entanto, sabe-se que os níveis elevados de colesterol levam os macrófagos a agir e a formar o infiltrado de gordura sob a pele.

Exames e diagnósticos

Se a pessoa já tem história de alguma das doenças que provocam xantomas e xantelasmas, o diagnóstico pode ser feito pela inspecção e pela palpação da lesão. Do contrário, a investigação de nódulos cutâneos novos também pode requerer testes laboratoriais de sangue para dosear os níveis sanguíneos de glicose, de lipídeos - colesterol e triglicerídeos - e de substâncias relacionadas com o funcionamento do fígado.

Raramente exames de imagem, como a ultra sonografia e a tomografia computadorizada estão indicados na avaliação de xantomas. Em situações especiais o médico pode indicar uma biópsia da lesão ou do nódulo na pele. Esse procedimento, feito sob anestesia local, consiste na remoção de fragmentos da lesão para a análise de sua natureza.

Tratamento e prevenções

Caso haja aumento nos valores sanguíneos do colesterol, o tratamento deve ser realizado com medicações próprias para a redução, os chamados hipolipemiantes. Outra medida indicada é o controlo adequado das doenças que causam xantomas e xantelasmas, e caso indicado a adopção de medidas terapêuticas específicas para essas enfermidades.

A diabetes, por exemplo, é uma doença que exige alimentação equilibrada e restrita e prática regular de exercícios físicos. Já o câncer de fígado pode requerer cirurgia e quimioterapia. Nos casos de comprometimento estético, o tratamento pode incluir a remoção cirúrgica do tumor gorduroso.

Por ser uma lesão cutânea associada a alterações do metabolismo lipídico, as medidas de controlo dos níveis de colesterol no sangue são as mais úteis para evitar a instalação de novos nódulos. Assim, as orientações de uma dieta equilibrada, rica em fibras e pobre em gorduras, e a prática regular de actividade física são recomendadas para todos os pacientes. Esses cuidados são particularmente reforçados para quem tem história familiar de distúrbios metabólicos, pelos riscos de doenças cardiovasculares directamente associados a níveis elevados de lipídeos na circulação.

O controlo adequado de outras enfermidades clínicas que estejam implicadas na instalação dos xantomas também está indicado. Ou seja, nesses casos, a adesão ao tratamento é a base para a prevenção contra novas lesões.

Fonte: Assessoria Médica Fleury